SINGLE EM NOME DO AMOR

Clipe: Em Nome Do Amor

 

Release

Após o lançamento virtual do álbum “Nossa Cidade” (2014) que obteve a marca de mais de 35 mil streamings em todas as plataformas digitais o cantor, tecladista e compositor Luciano Bahia recebeu um convite para lançar um novo álbum. Daí Luciano convida o tecladista, compositor, cantor, arranjador e produtor Lito Figueroa (Sandra de Sá, Mercedes Souza, Tim Maia...), e juntos gravam este novo trabalho o CD “Vento Lunar”.

Muitos compositores conceituados da MPB, reuniram-se para dar luz a esse projeto, caracterizado por uma sonoridade bem cuidada semelhante à World Music e outros ingredientes que influenciaram a carreira dos dois artistas.

A canção título é uma parceria de Luciano com Carlos Colla, impregnada de uma atmosfera de música progressiva aliada a um lirismo especial. Na Boca da Noite, a canção de Luciano e Tibério Gaspar que abre o CD, soa como um mantra hipnotizante e profundo que não se afasta das matrizes da música mais brasileira possível.

O romantismo também é presente neste trabalho. Ele aparece nas canções como Lua Nova (Fred Nascimento, Luciano e Casinho Terra), Um Segredo em Mim e Ao Sétimo Céu, alinhados com boa harmonia entre música e letra, embalando em belas melodias as letras dos poetas Juca Filho e Carlos Potyguar respectivamente.

Lito Figueroa canta em faixas como a linda Predestinado, parceria com Tibério Gaspar e as versões em espanhol da mesma e Al Sétpimo Cielo, além do tema instrumental Canto do Coração, de sua autoria, recheado de lirismo e belos vocalizes.

Mas o clima etéreo e sideral do CD Vento Lunar conta com belos arranjos e letras inspiradas que também refletem sobre os descaminhos e embates sociais do planeta Terra.

Canções como Em Nome do Amor (Luciano e Fernando Garcia) e a grata surpresa Revolução e Evolução (Luciano e Bernardo Vilhena) dão o tom realista e critico dos rumos e acontecimentos da vida mais terrestre, que retrata o cenário politico atual do Brasil, mas sem perder a esperança.

Finalizando o CD, Bye Bye Meu Bem a única regravação neste trabalho de autoria de Alfredo Karan e Fernando Negreiros, uma balada com DNA dos anos 80 e plena de romantismo urbano e existencial.

No calendário da Terra o presente ano vê aterrissar este Vento Lunar, investido de belas melodias, letras poéticas, espertas e que deixa nos ouvintes um fio generoso de sonho e esperança. Esperança esta que é o Vento Lunar que agita e acalma o nosso coração.

"Carlos Magno"